A polêmica do arbitro de video eletrônico

Um dos assuntos que vem sendo comentado no meio esportivo, é sobre o árbitro de vídeo.
Em reunião feita na sede da CBF, no Rio de Janeiro, com a presença dos representantes de 19 dos 20 times da Série A do pelo Brasileirão. Alguns times são a favor, pelo fato de que a implementação ajudaria em alguns momentos no qual os árbitros possuíssem dúvidas sobre o que marcar ou tiver sua visão obstruída. Os times que foram contra, opinaram pelo fato de que seria um prejuízo financeiro, já que a CBF queria que os clubes arcassem com os custos. Foi decidido que só iria voltar a discussão sobre o árbitro de vídeo após a Copa do Mundo de 2018. No entanto, a partir das quartas de final da Copa do Brasil, haverá a utilização do árbitro de vídeo, sendo os custos pagos pela CBF. Além da questão econômica, os presidentes dos clubes estão desconfiados. Em alguns lugares, está dando confusão por decisões equivocadas.
O placar ficou 12 a 7, com uma abstenção (o presidente do São Paulo saiu momentos antes da votação). Confira abaixo como cada clube votou:

– A favor: Botafogo, Bahia, Flamengo, Chapecoense, Internacional, Grêmio e Palmeiras

– Contra: América-MG, Corinthians, Atlético-MG, Ceará, Atlético-PR, Cruzeiro, Paraná, Fluminense, Sport, Santos, Vitória e Vasco

O custo desta decisão para cada time seria no valor de R$500mil apenas para o segundo turno, totalizando R$1 milhão para o campeonato inteiro. Neste valor, também está incluso o curso de capacitação do árbitro de vídeo, ministrado pela própria CBF no estado de São Paulo.

O início de tudo


Em jogo válido pela 24ª rodada do pelo Brasileirão de 2017, o Corinthians venceu o Vasco por 1×0, com gol de braço de Jô. Após o jogo, a CBF se comprometeu em implantar o árbitro de vídeo, no decorrer do campeonato. Passado um mês e sem condições técnicas e financeiras, a entidade recuou e resolveu adiar a implementação para o próximo campeonato.

Após a decisão

Com a visita do presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, após polêmicas no empate no jogo Vitória Vs. Flamengo, na primeira rodada do Brasileirão, foi reaberta a discussão sobre o árbitro de vídeo. Apesar de ter seu segundo gol validado após impedimento de Willian Arão, o Flamengo sofreu com o pênalti mal marcado e a expulsão de Éverton Ribeiro, ambos no primeiro tempo, diminuindo as chances de sair de Salvador com os 3 pontos. Galiotte afirmou que esta era sua terceira vez solicitando a inclusão da arbitragem eletrônica, afirmando que o problema não é o custo, mas sim a perda de credibilidade.

Outros temas da reunião

Durante a reunião, também foi votado sobre a “venda” do mando de campo e o uso de grama sintética. Ambas as decisões foram positivas, porém, a “venda” teve algumas restrições:

– De todos os jogos de seu mando, os times só poderão atuar fora de seu estado apenas cinco vezes;

– Só poderá ocorrer a venda se o time visitante concordar;

– As últimas 5 partidas não poderão ser vendidas.

Comentários